Sabores de uma viagem: Roma

Descrição:

Acredito que minha paixão por massas e a preferência pela cozinha simples,  saborosa e rústica traduzem um encantamento pela culinária italiana, a qual tive a oportunidade de conhecer.

Quando estive na Itália constatei que existem vários tipos de turismo e que unir a ideia da visitação de locais à gastronomia é um verdadeiro desafio. Tanto por parte de programação de interesses, da localização dos pontos turísticos e pela parte financeira.

Portanto, o que vivenciei pode ser chamado, na verdade, de turismo de oportunidades gastronômicas. Afinal, a gastronomia não era o foco principal da viagem, tínhamos que aproveitar os dias ao máximo, seguir os roteiros de pontos turísticos e quando a fome surgia, precisávamos encontrar um local próximo, atraente e, principalmente, acessível.

Apesar de algumas decepções, tive a sorte de encontrar lugares interessantes, conforme o que eu almejava: comida autêntica e tradicional sem influências do turismo.

Aprendi um pouco sobre a culinária italiana durante a faculdade de Gastronomia, mas queria saborear o ponto, a textura, os temperos e desvendar o verdadeiro sabor da comida daquele país.

Posso afirmar que aprender uma receita clássica é totalmente diferente de provar este clássico em seu devido local de origem.

Um dos restaurantes que gostaria de ressaltar estava próximo ao Coliseu. Estávamos passando em frente e o atendimento cordial acabou nos convencendo.

Percebi um local aconchegantee visualizei o cardápio. Aliás, este é um ponto positivo para o restaurante: o cardápio em português! Perguntei ao garçom sobre as opções de pasta fresca (massa fresca) do dia e logo segui pela degustação das receitas clássicas.

Desde a primeira garfada o restaurante me conquistou e retornei ao local algumas vezes. Provei o carbonara, o bolonhesa, a pasta de trufas negras e a bruscheta, também de pasta de trufas negras.

O ponto da massa é tradução perfeita do conceito al dente. Acreditem, o que pensamos ser al dente no Brasil é diferente do verdadeiro ponto al dente. É o ponto exato da massa: nem mole, nem cru; é a perfeição da textura de cozimento.

O ponto do sal também é diferente daquilo que estamos acostumados: sem exageros, sutil na medida certa.

O que tiro de lição desta vivência é que em algumas vezes, nos ambientes mais simples e menos prováveis, encontraremos a verdadeira comida local. Portanto, devemos aproveitar as oportunidades que a vida nos revela. Porque vivenciar os costumes locais e os sabores autênticos, em minha opinião, é o fato mais enriquecedor de uma viagem.

Pasqualino ao Colosseo

Via Dei Santi Quattro, 66, 00184, Roma-Itália

 

Marina de Carvalho Mendes Mafra